Cuba: O desafio do novo presidente

Arquivado em: Internacional |

Empossado como o novo presidente de Cuba na quinta-feira 19, no lugar e com o endosso do ditador Raúl Castro, o engenheiro eletrônico Miguel Díaz-Canel, de 58 anos, terá de ser muito hábil para se manter no cargo. À frente do governo, ele não poderá fazer nada nem falar coisa alguma que desagrade aos militares e ao Partido Comunista, que continuará tendo Raúl Castro como secretário-geral até, pelo menos, 2021. E precisará, de alguma forma, atender às necessidades da população, que está crescentemente insatisfeita com o aumento da desigualdade econômica no país, em boa parte provocada pela adoção de duas moedas — uma conversível, a outra não. “Como ele não é um Castro e não participou da revolução de 1959, a sociedade o vê como alguém no mesmo nível, que pode ser cobrado livremente”, diz o historiador cubano Manuel Cuesta Morúa, que vive em Havana. “Ele terá de despachar olhando para cima, para baixo e para os lados.”
Fonte: Veja cuba-raul-castro-miguel-diaz-canel-2018-2

comments