Vereadores criticam o instituto Nossa Ilhéus

Arquivado em: Bahia |

Durante a sessão ordinária dessa Terça Feira (27) na câmara de Ilhéus, diversos vereadores teceram fortes criticas ao instituto Nossa Ilhéus, dirigido por Socorro Mendonça. As criticas foram iniciadas no momento em que o vereador Alisson Mendonça, do PT, sugeriu que o instituto passe a se chamar instituto “Nosso Jabes”, frase que foi interpretada por muitos dos presentes como uma tentativa do parlamentar de dizer que o Nossa Ilhéus atuaria em sintonia com os interesses do poder executivo no município.

O pronunciamento do vereador foi sucedido por inúmeras criticas de parlamentares que consideram que o instituto fiscaliza apenas a câmara e em nenhum momento se importa com erros cometidos pelo poder executivos. De acordo com o presidente Josevaldo Machado, que compareceu durante a manhã dessa Terça (27), a um evento organizado pelo instituto Nossa Ilhéus na câmara, o Nossa Ilhéus faltou com a verdade ao afirmar que o site mantido pela câmara não informa gastos do poder legislativo e de seus membros. O presidente da câmara classificou a ação do instituto como uma inaceitável onda de denuncismo, e lamentou o ocorrido.

Doutor Aldemir Almeida, último a se pronunciar criticando o Nossa Ilhéus, agora chamado de “Nosso Jabes” por muitos edis, realizou o discurso mais agressivo. De acordo com o vereador do PSB, o Nossa Ilhéus é uma porcaria e nem sequer deveria existir. Ainda segundo Aldemir, o instituto comandado por Socorro Mendonça, que entrou com uma representação no ministério público exigindo justificativas dos vereadores ás faltas que os mesmos cometem nas sessões, esteve por muito tempo “no bolso” do empresário Guilherme Leal, proprietário da Natura Cosméticos, e passou a se posicionar contra o porto Sul. Aldemir afirmou ainda que uma forasteira caiu de paraquedas em Ilhéus para comandar a ação do instituto, e que a forasteira em questão se chama, nas palavras do parlamentar, “Uma tal de Morgana Krieguer” , que apenas prejudicou Ilhéus.

O vereador afirmou ainda que, se a cidade fosse séria, o instituto Nossa Ilhéus já não existiria mais, pois não possui seriedade e credibilidade nas ações que realiza. No momento em que as criticas foram realizadas no plenário da câmara, um funcionário do Nossa Ilhéus estava no recinto filmando a sessão ordinária. Diante das criticas sérias que recebeu, o instituto deve se pronunciar. Com a palavra, Socorro Mendonça.

 

 

 

10325696_645123762246567_7451523115061371026_n

O vereador Aldemir Almeida, no momento em que criticou o instituto Nossa Ilhéus.

comments