Viva ao Abril Indígena e a luta dos povos tradicionais- Por Cláudio Magalhâes

Arquivado em: Geojornalismo |

Abril indígena, do Terra Livre, abrimos o movimento nacional, bravamente ocupávamos Brasília para reivindicar direitos, demarcação de territórios, direito do povo originário desta terra. Referendo os povos originários do município de Ilhéus, a comunidade Tupinambá resistente pelo direito de demarcação de suas terras. Este, mês toda a população indígena se movimenta através das redes sociais, devido à Covid-19 que se agrava em nosso país, com os desmandos e negligências do governo Bolsonaro.

Com todas as dificuldades, precisamos enfrentar esta pandemia que assola o Brasil. Homenageio todos aqueles caciques, lideranças indígenas que lutaram pela demarcação do nosso território, que lutam pela sobrevivência da sua cultura e da sua ancestralidade, no Brasil e no município de Ilhéus. Muitas vezes, somos invisibilizados pelos olhares do poder público e das autoridades competentes, estes poderiam colaborar, amenizando as dificuldades impostas pelas opressões sofrida por nós, desde o período colonial de domínio português.

Não podemos deixar que o racismo, o preconceito, que domina parte de nossa sociedade que, no passado, usou da mão de obra escrava indígena e depois do povo de descendência africana, impeça que possamos ter um ambiente de paz e justiça social. Neste momento, precisamos do apoio na nossa câmara municipal para implantação da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Povos Tradicionais, que inclui indígenas, marisqueiras, fundo de pasto, ciganos e outros irmãos.

Faço uma referência importante e necessária ao povo indígena, resistente e que continua a luta dos seus ancestrais, exalto também o povo de matriz africana que tem sua cultura, como uma das representações, os povos de axé, que também temos em Ilhéus. O resquício da memória dos quilombos, da história de resistência do Rio do Engenho, um dos primeiros locais onde negros reivindicaram seus direitos trabalhistas aqui na nossa cidade.

Precisamos dar visibilidade ao povo negro da cidade, da periferia, que tem um papel destacado, principalmente na mão de obra do município de Ilhéus. Chamo a atenção e digo que tenho consciência, sempre tive, da necessidade de avançarmos em pautas importantes, dos negros, dos indígenas e de outras representações importantes em nossa cidade.

Muitas vezes, a gente não vê um empenho para que essas pautas sejam discutidas em nosso ambiente social, principalmente no âmbito escolar. Então, é preciso somar forças com Comissão de Educação da Câmara de Ilhéus, na Frente em Defesa dos Povos Tradicionais para exigirmos a defesa dos direitos de todos os povos tradicionais e colocar em pauta, nosso valor e reconhecimento que merecemos ter, por tantas razões, sociais e históricas.

Com um trabalho de conscientização, pretendemos ampliar que muitos tenham acesso ao conhecimento sobre nossos povos, ampliando a consciência e sensibilizando nossos irmãos e irmãs, em busca, quem sabe um dia, da equidade de diretos entre todos e todas.

*Cláudio Magalhães é o primeiro indígena, da etnia Tupinambá de Olivença, a exercer mandato de vereador no município de Ilhéus – Bahia.

comments